Adeus velho Manoel!

Esse aí da foto é o meu sogro Manoel. Ele é pai da Cida, minha esposa.

Eu o vejo no olhar dela, bem como em cada palavra, em todas as suas atitudes.

Disposição.
Honestidade.
Empatia.
Simplicidade.

Tudo isso foi ele quem ensinou.

Não só para a Cida, mas para todas as suas quatro filhas biológicas e as três de coração.

Aliás, ele era só coração.

Ele tinha um coração forte para trabalhar e enorme para amar.

Manoel foi um gigante!

Grande pai, grande marido, avô, padrinho, vizinho e sogro.

Sentiremos falta da sua gargalhada quando um dos netos fazia cócegas na sua barriga.
Da comilança em cada Natal, Ano Novo ou aniversário.

Mas acima de tudo, sentiremos falta da sua presença.
O vazio é enorme, assim como também é o seu amor.

Mas também veremos o amor resplandecer nos olhos da cada mulher naquela casa.

Adeus velho Manoel.
Descanse em paz!!!

Tapa

Violência gera violência, mas é preciso entender que há mais de um tipo de violência.

Oscar 2022 – Agora vai?!

(Resenha com alguns ‘spoilers’. Leia por sua conta e risco!) Com a pior audiência dos seus 93 anos, com apenas 9,85 milhões (contra 23,6 no ano

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.