Pensamentos sobre a vida, trabalho, saúde, família e tudo mais…

The Force Awakens

Sobre a minha primeira vez de verdade em que eu assisti Star Wars no cinema (Resenha com ‘spoilers’ moderados. Mas eu aviso quando chegar ok!?) Star Wars e eu Quando “Guerra nas Estrelas” estreou em janeiro de 1978 aqui no Brasil, eu tinha apenas 5 anos, e esse não era o tipo de filme que os meus pais me levavam no cinema para

Queen e Adam Lambert no Rock in Rio 2015

https://medium.com/media/ad129744e6be431282202323527412b7/href Queimei a língua com gosto! Foi assim que eu postei no Twitter quando comecei a assistir o vídeo do show no canal do Adam Lambert no Youtube. Em menos de 30 minutos (das quase duas horas de show) eu já estava entregue, e me emocionava a cada música ‘riffada’ pelo Brian May. Mesmo ‘Love of my life’, que foi trilha

Tudo junto

Ana? Alice? Ana Alice? Não. Analice, é tudo junto! Ainda lembro de quando sua mãe escolheu o seu nome. Também lembro de quando ela disse que estava grávida de você. Eu estava em casa com Nick, e a mamãe foi trabalhar. Mas antes, passou no laboratório para pegar o resultado do exame. “Estou grávida. Vamos ter um outro bebê!” Desde

Minha namorada há 20 anos

Coloquei o colchão na sala, decorei o ambiente, fiz uma fita cassete com canções românticas. Preparei uma comida especial com sobremesa e tudo mais, e te chamei para passar a noite do dia dos namorados comigo. Enquanto você tomava um banho quente demorado, Fábio Júnior tocava ao fundo, cantando “Como é grande o meu amor por você”, e te levei

Madrinha

Com você eu aprendi o sentido da palavra amor. Amor incondicional, amor sem cobranças, sem alienação. Amor de mãe, amor de filho. Foi você que me apresentou a Deus, e hoje ele levou você de mim. Tenho certeza de que você está bem agora, e tento me reconfortar pensando dessa forma, mas confesso que é muito difícil. Não será fácil

Linda e serena

Orgulho e raça de Atenas, morena, serena. Você não me espera voltar das batalhas mas faz novenas mesmo assim. Se banha, se perfuma e se arruma, sem ajoelhar ou implorar, e ainda sim sofre duras penas por seu marido e filhos. A vida fustiga seus sonhos, te impõe a cadena da rotina e ainda sim no fim do dia te

Oscar 2015. “por una cabeza”!

(Artigo sem spoilers. Pode ler tranquilo!) Em abril do ano passado, depois de assistir a cerimônia de entrega do Oscar pela TV eu resolvi que veria todos os filmes de uma vez só para expressar a minha opinião, e enquanto escrevia o texto com a minha resenha, eu fiz um formato de análise segmentados por “decepção”, “bom filme”, “gostei muito”

Boyhood — not this time friend

Antes de começar a assistir o filme, fui para o Twitter perguntar a opinião dos meus seguidores. Confesso que não sabia NADA sobre o filme, Apenas sobre o fato que ele levou 12 anos para ser rodado. Eu tinha um enorme pé atrás em assisti-lo, mas não tinha a menor ideia do porquê. Então o amigo Lucas me respondeu gentilmente

A vantagem de ter 41 anos

Simplesmente não queria assisti-lo. Fiz uma pesquisa mínima sobre a vida e obra da pintora Frida Kahlo e não me sentia atraído em ver o filme. Sei lá, acho que não entendia a sua arte e simplesmente a ignorava. Ontem algo aconteceu que eu não conseguia dormir e ‘zapeando’ entre os canais, peguei o filme com 5 minutos de iniciado.

Lá e de volta outra vez

11 anos depois de entrar na minha primeira rede social, o Orkut, eu decido que precisava priorizar a minha presença online. Sempre considerei o Twitter como a minha rede ‘queridinha’, mas depois surgiu o Google+ prometendo mundos e fundos, e por mais que eu goste muito da rede, confesso que é muito difícil convencer as pessoas a usá-la e interagirem